Breve história da alimentação pelo tempo

           A primeira fonte de energia do homem foram as folhas, frutas e frutos. Nessa época, nossa espécie vivia perto das árvores, livre na floresta, se alimentando de tudo que estivesse ao alcance das mãos. Com o passar do tempo, o homem começou a desenvolver a agricultura. Começou nesse período a ingestão de grãos em grande escala. Existem registros de cultivo de arroz em 10.000AC na Ásia, se tem também registro do cultivo de milho em 8.000AC. Nesse período a agricultura se desenvolveu e foi sendo cada vez mais aperfeiçoada, antigas civilizações foram observando a influência dos fenômenos naturais em suas plantaçôes assim como em suas vidas. Qual era o melhor momento para plantar, para colher, para irrigar, qual era a época do ano mais adequada para as diversas culturas. Com a agricultura veio também a possibilidade de armazenar comida, o excedente podia ser guardado para ser comido nas épocas de estiagem. Mesmo plantando e armazenando o inverno continuava sendo um problema para o homem. Foram sendo adaptadas algumas culturas para resistirem ao inverno e para minimizar essa escassez, foram aprimoradas as técnicas de armazenamento dos alimentos.

Mas a população foi crescendo. Cheias dos rios muitas vezes acabavam com as plantações. Fenomenos naturais como geadas, frio intenso, longos períodos de seca também eram um problema para as plantações. Então o ser humano começou a caçar e pescar. Começa também a domesticação de animais. Até esse ponto a humanidade havia se alimentado de vida. A partir desse ponto a humanidade começa se alimentar de morte. Nesse momento se inicia uma transformação psicológica, social, cultural. O homem agora precisa de agressividade para comer, não pode ter compaixão, precisa se achar mais importante, surge hierarquia, dominação e poder.

Eu sou mais importante que você então eu posso te matar, eu sou diferente de você então eu posso te matar. Sem perceber que ao fazer isso ele estava criando o nosso mundo de hoje, um mundo de escravidão em que alguns se julgam mais importantes e podem sugar a vida dos outros, uma sociedade de diferenças, ao invés de igualdades.

O poder das armas, da força, da ganância, do egoísmo, alterou tão profundamente a nossa alimentação que fez com que recentemente entrássemos no processo de ingestão de alimentos artificiais. Uma série de substâncias que não são encontradas naturalmente na natureza estão sendo inseridas na alimentação das pessoas. São conservantes, adoçantes, aromatizantes e uma série de outros “antes” intoxicantes. Parece loucura mas não é atualmente nós comemos veneno. Sim, os fertilizantes e os diversos agrotóxicos estão na mesa da maioria das pessoas. Sabe-se que é possível se ter uma agricultura orgânica que atenda toda a população, mas isso não é interessante para as grandes corporações.

Observe que nesse processo de ingestão de novos alimentos e novas substâncias o nosso organismo não conseguiu se adaptar totalmente às mudanças. Para uma espécie 12.000 anos não é suficiente para se adaptar totalmente e mudar todo um processo digestório. Consequentemente, alguns alimentos principalmente os gãos precisam ser aquecidos ou germinados ou cozidos antes de serem ingeridos. Passando assim por um processo de quebra dos nutrientes para uma posterior absorção adequada.

Agora pense que mesmo na ingestão dos grãos não estamos totalmente adaptados. Mesmo sendo parte da nossa alimentação há pelo menos alguns milênios. Nosso organismo ainda não consegue digerir as proteínas dos grãos totalmente se estiverem crus. O que diremos de substâncias colocadas na nossa mesa há poucas gerações? E que pior ainda são altamente tóxicas para nosso corpo.

Atualmente observamos grupos de pessoas que preferem uma alimentação mais saudável:

- Naturistas: aboliram a ingestão de carne vermelha.

- Ovo-lacto- vegetarianos: não comem nenhum tipo de carne.

- Lacto-vegetarianos:  além de não comerem carne, não comem ovos e mel.

- Vegetarianos: não comem nada de origem animal.

- Veganos: além de não comer não fazem uso de produtos de origem animal, como o couro ou lã por exemplo.

- Frugivorismo: a alimentação baseada no consumo de frutas, legumes e verduras.

A evolução da alimentação deve ser gradual e constante. Será um choque muito grande se você de um dia para outro mudar sua alimentação carnívora para uma frugívora. Então um passo de cada vez. Vá sentindo e vivenciando cada uma das fases. Observando como seu corpo se comporta com as mudanças e com as melhorias que você está fazendo. Para dar um passo adiante esteja firme na sua posição. Dessa forma seu progresso será sólido e estável, um progresso contínuo e bem alicerçado.